Notícias

Fique por dentro dos assuntos relevantes da Rádio Xingó FM e do Brasil.

Alagoas prorroga isolamento até a próxima semana

23.06.2020

Alagoas prorroga isolamento até a próxima semana

O governo de Alagoas informou que o novo decreto de emergência prorroga as medidas de isolamento contra o coronavírus no estado até o dia 30 de junho. O anterior tinha validade até as 23h59 desta segunda-feira (22). As regras são as mesmas que já estão em vigor atualmente e passam a valer a partir de terça (23).

Os detalhes do decreto foram anunciados pelo governador Renan Filho (MDB) por meio de uma transmissão nas redes sociais. Antes, a ideia era começar a retomada dos setores da economia a partir do dia 23 de junho, mas agora essa retomada foi adiada para julho.

"Esse decreto será necessário para finalizar, consolidar a tendência de queda dos casos de coronavírus, sobretudo os casos mais graves e trabalhar para que a sociedade volte a viver mais próximo do que a gente vivia antes dessa pandemia", afirmou Renan Filho.

Segundo o governador, o momento ainda não é de flexibilização e chamou essa nova fase de distanciamento social controlado que começará no dia 01 de julho.

O protocolo para essa retomada já foi publicado, mas sem datas. Um novo documento deve ser apresentado na próxima sexta (26) com as datas e os prazos definidos entre uma fase e outra.

Serão cinco fases no total, classificadas por cores e utilizando três eixos estratégicos:

Capacidade hospitalar de leitos já existentes, entre UTIs e clínicos;
Evolução epidemiológica;
Taxa de evolução da Covid-19.

O governador ressaltou que é preciso que a população siga as regras de distanciamento e isolamento social para consolidar o controle do contágio da pandemia e poder pôr em prática a reabertura.

“Estamos muito mais próximos de iniciar a construção do distanciamento social controlado e passar a avançar para uma outra fase; sair da fase vermelha para a fase laranja e nós esperamos que nesses próximos oito dias isso se consolide,” disse ele.

A mudança de fases deve começar pela capital e região metropolitana onde, segundo ele, o crescimento do vírus encontra-se mais controlado do que em outras regiões, como o agreste, que ainda apresenta aumento no número de casos.