Notícias

Fique por dentro dos assuntos relevantes da Rádio Xingó FM e do Brasil.

Ibama vai fazer vistoria para checar se óleo atingiu o Rio São Francisco, em Alagoas

08.10.2019

Ibama vai fazer vistoria para checar se óleo atingiu o Rio São Francisco, em Alagoas

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou nesta segunda-feira (7) que vai fazer uma vistoria nos próximos dias para checar se as manchas de óleo que afetam o Litoral do Nordeste atingiram o Rio São Francisco, em Alagoas.

No fim de semana, o Ibama identificou uma mancha que vai desde a Praia do Pontal do Peba, em Piaçabuçu, até a alguns metros da margem da Foz do Rio São Francisco.

De acordo com o Ibama, a mancha chegou bem perto da Foz, a alguns metros da margem, mas somente com uma vistoria vai ser possível afirmar se a mancha atingiu o rio.

Em todo o Brasil, já são 132 praias atingidas pelas manchas de óleo.

Em Alagoas, já são 15 locais em 10 municípios com manchas. As duas últimas surgiram no sábado em Piaçabuçu e, no domingo, na Lagoa do Pau, em Coruripe.

A Prefeitura de Piaçabuçu começou a limpar a Praia do Pontal do Peba no domingo.

No último domingo, o primeiro animal atingido por óleo em Alagoas foi encontrado, uma tartaruga foi encontrada no Pontal de Coruripe.

Comitê do São Francisco

O presidente da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, Anivaldo Miranda, falou que a situação é preocupante, mas que ainda não é possível saber se as manchas vão chegar ao rio.

"As informações todas que nós colhemos dão conta de que na área do Pontal do Peba, ou seja, no encontro do litoral alagoano com o litoral sergipano, as manchas de óleo que se estendem do Maranhão à Bahia já chegaram e muitas delas estão cerca da Foz do Rio, cerca de 160 metros.", explicou Anivaldo Miranda.

"Nós não sabemos ainda se um volume de óleo vai chegar àquela região, mas é preocupante visto que a Foz do Rio São Francisco e sua região estuarina configuram um ecossistema de alto valor para as espécies tantos fluviais quanto marinhas. Ali tem banco de camarão, área de desovas de tartarugas, uma coleção grande de manguezais. Vamos acompanhar isso com muito cuidado para tomar as medidas que sejam necessárias através dos órgãos de controle ambiental", disse o presidente do Comitê.